quarta-feira, 25 de julho de 2012

Croquetes

Pela primeira vez na minha vida de cozinheira amadora, consegui fazer croquetes! Consegui responder a um dos pedidos do marido que, sempre que alguém elogiava os rissóis, comentava de imediato que eu não conseguia fazer croquetes, o seu salgado preferido. Aqui, eu podia responder: "Eu é mais bolos"!

A receita não foi nada difícil de encontrar e veio daqui.


Ingredientes para aproximadamente 15 croquetes: - 200 gr de carne picada; - 60 gr de manteiga; - 1 dente de alho; - 1 folha de louro; - 1 cebola pequena; - 60 gr de farinha; - 1,5 dl de leite; - 2 ovos; - sal, pimenta e noz-moscada q.b.; - 1 colher de café de mostarda líquida; - salsa picada; - pão ralado; - óleo para fritar.

Modo de preparação: Num tacho derreta a manteiga, junte o alho, a cebola e o louro e deixe alourar, mexendo sempre para não queimar. Acrescente a carne (caso esteja a usar carne crua) e cozinhe-a em lume  brando. Logo que esteja a carne cozinhada junte a farinha e mexa até que a carne a tenha absorvido totalmente. Adicione, em fio, o leite morno (use uma varinha de arames para desfazer qualquer grumo). Continue a mexer (agora com a colher de pau) até engrossar e descolar do fundo. Tempere com sal, pimenta e noz-moscada. Acrescente a mostarda. Mexa por 1 a 2 minutos. Fora do lume adicione 1 ovo previamente batido, mexendo bem. Volte a levar ao lume e mexa até formar uma bola e descolar do tacho. Despeje sobre um tabuleiro e alise a superfície. Cubra e leve ao frigorífico de um dia para o outro. Para moldar os croquetes, passe as mãos por água, será muito mais fácil! Passe por ovo e pão ralado e frite em óleo bem quente.


Como sugerido pela receita original, podem usar restos de carne cozinhada, como por exemplo restos de churrasco. Ao seguirem esta opção, deve a carne ser acrescentada depois de ter acrescentado o leite, continuando a seguir a receita!

Espero que gostem! Nós, fizemos uma festa e já repetimos a receita!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Stroganoff

Claro que não usei toda a quantidade de carne da receita anterior, o que motivou a experimentar uma receita e preparar um prato que costumo fazer com outras carnes como peru ou frango. 


Esta receita saiu do livro "Cozinha fantástica em 30 minutos" das Selecções. Se demorei apenas 30 minutos? Não sei, até porque gosto de cozinhar com calma.

Ingredientes para 4: - 3 clhs de sopa de azeite; - 1 cebola roxa grande (usei cebola normal); - 250 gr de cogumelos; - 500 gr de lombo de vaca; - 2 clhs de chá de grãos de pimenta-verde (usei 5 pimentas); - sal; - 2 clhs de sopa de mostarda dijon (usei mostarda líquida normal); - 3 dl de natas cortadas com sumo de limão (usei leite de coco); - 85 gr de pepinos de conserva (optei por uma mistura de pickles); - 1 ramo de cebolinho (usei salsa picada).

Modo de preparação (e aqui vai ser à minha maneira): Coloque parte do azeite na frigideira e aloure a cebola, acrescentando os cogumelos laminados. Salteie os cogumelos até ficarem brandos e o líquido tenha evaporado. Retire da frigideira e reserve. Junte mais uma parte do azeite e salteie a carne durante 2-3 minutos, ou até alourar. Deite novamente os cogumelos na frigideira e a carne. Tempere com sal, pimenta e deixe apurar. Misture a mostarda com as natas e deite na frigideira juntamente com os pepinos. Deixe aquecer, mas sem ferver. Arranje, lave e seque o cebolinho, corte aos bocados e sirva.

Espero que gostem!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Fricassé de novilho

As férias estão a aproximar-se a passos largos! Só espero é que os dias de férias passem lentinhos, bem lentinhos! 

Ontem, fui com a mãe comer caracóis! Petisco que não comia à muito tempo, e ontem apeteceu-me.

Esta receita é das que estão por postar, o tempo é escasso e, depois de terminar o trabalho apetece tudo menos continuar no computador.

A receita é da Dica da semana de 05-01-2012, e deixo a receita tal como é sugerido, com a minha sugestão da substituição das natas por leite de coco e dos cogumelos enlatados por cogumelos frescos.


Ingredientes: 1 embalagem de jardineira; - 1 cebola; - 2 cenouras; - 1 embalagem de cogumelos brancos frescos; - 150 gr de ervilhas; - 50 gr de manteiga; - 1 gema de ovo; - 1 dl de leite de coco; - 1 limão; - 6 dl de água; - 1 colher de sopa de farinha; - sal e pimenta preta q.b.

Modo de preparação: (Saltei a parte em que sugere o Chef que a carne fique a demolhar em água fria durante 20 min, escorrendo-a bem). Descasque a cebola, pique-a e refogue-a até ficar macia, no tacho onde derreteu previamente a manteiga. Adicione a carne e deixe cozinhar até ficar dourada. Acrescente o vinho, mexa e deixe cozinhar durante 5 minutos. Descasque as cenouras, corte-as em rodelas e junte-as à carne. Adicione a água e deixe cozinhar em lume brando até a carne ficar tenra. Dissolva a farinha em 5 colheres de sopa de água e junte à carne, assim como as ervilhas e os cogumelos. Misture e deixe cozinhar por 5 minutos. Junte a gema, o leite de coco e o sumo de limão e deite no preparado da carne, mexendo sempre até ferver. Sirva quente com acompanhamento à escolha.

Nós gostámos muito! Espero que gostem!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Destralhando ... A casa de banho!

Numa casa alugada, nem tudo é do nosso agrado, e para ser-lo a renda deve ser bem alta! O que nós gostamos menos, é da casa de banho. Claro que o senhorio tem pouca vontade de a remodelar, facto que acrescido à pouca vontade do maridão de o chatear para avançar com as obras, podem concluir, e bem, que quem sofre sou eu. Mulher que é mulher gosta de ter tudo lindo e bem cheiroso, né verdade!


Passo a comentar a limpeza da casa de banho:

Ponto 1: Retirei tudo o que era possível;

Ponto 2: Comecei pela banheira e azulejos adjacentes. Lavei com Cif e esfregão bravo.

Ponto 3: Lavei os restantes azulejos com lava tudo ecológico aroma de laranja da marca do continente. (Ficaram a brilhar!)

Ponto 4: Os frisos dos azulejos do chão foram lavados com lixívia e com uma escova de dentes.

Ponto 5: Lavei as loiças da casa de banho e as prateleiras.

Ponto 6: Decorei ao nosso gosto! 

Aqui, falta um franco com pout pourri em tom lilás que foi lavado para retirar o pó.

Dita o feng shui que quando a sanita está em frente à entrada, devemos colocar algo por cima para desviar a atenção. Por isso tenho um arranjo de flores de papel e uma vela.

Este cesto passou da cozinha para a casa de banho. Foi lavado com antibacteriano da marca Cif e organizado com os cestos que ocupavam as prateleiras das toalhas. 

Com o espaço mais liberto, foi possível organizar a decoração!

Ficou bem melhor!

Os únicos gastos que fiz neste espaço foram: 4,00€ do famoso desentupidor de nome Desatascador Líquido (funciona muito bem!, nunca a nossa casa de banho cheirou tão bem!); 6,99€ cesto para guardar o papel higiénico; 14,70€ da recarga do difusor + pauzinhos novos, desta vez optei por um novo aroma: Cherry Blossom. Total da despesa: 25,69€.

Espero que gostem!

Cuscuz à marroquina

Incrível, mais tempo tivesse livre, mais tempo exigiria. Por aqui continuo com as limpezas e arrumações. A casa de banho já está. A cozinha, terá de ficar para relatar na próxima semana, pois está a dar muito trabalho. 

Do livro "Comer bem, viver bem" editado pelas Selecções, saiu esta receita. Achei um bocado exagerada a quantidade de cuscuz, mas segui a receita à letra para que nada falhasse!



Eles sugerem para 4, eu rectifico para 6, Ingredientes - 1 1/4 chávena de água; - 1 chávena de caldo de galinha; - 1 clh de sopa de óleo vegetal; - 1 1/2 clhs de chá de raspa de limão; - 1 clh de café de sal; - 300 gr de cuscuz; - 500 gr de grão; - 1 chávena de passas.

Modo de preparação: Ferva a água juntamente com o caldo de galinha, o óleo, a raspa de limão e o sal. Junte o cuscuz, retire do lume e deixe descansar tapado por 5 min. Solte o cuscuz com o garfo. Adicione o grão cozido e as passas, misturando bem. Sirva quente ou frio.
(Para quem perceba: Cal: 504; Gor: 7g; Sód: 696 mg!)

Aqui, acompanhou um bife de perú grelhado, só faltaram umas rodelas de limão!

Espero que gostem!


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Comércio Tradicional

Na passada sexta feira, dei um saltinho aos CTT e aproveitei para passar na drogaria da vila para comprar alguns itens. A conversa foi estranha e a senhora não tinha qualquer pingo de simpatia. Ora vejam:

Eu - Boa tarde.
(A senhora estava na parte de acesso restrito ao público e, neste momento, oiço uma criança gritar parecendo que está na casa de banho e a dizer algo do tipo: "Avô, eu consigo". Adiante...)
Dou de caras com aqueles protetores autocolantes para colocar debaixo das cadeiras ou de outra coisa qualquer, e agora passemos à acção!:
Senhora - Sim (seco e grosso)?
Eu - Procuro umas bolinhas de silicone para colocar por baixo de coisas, assim deste tipo.
Senhora - Não tenho.
Eu - (Certificando-me de que o que procuro existe, e não estou louca) Mas, a senhora sabe o que é?
Senhora - Não. (Agora, um bocado mais irritada:) Não tenho. O que tenho é isto.
Eu - Vou ver outras coisas, a senhora esteja à vontade para ver a menina. (Lá aparece a criança)
Senhora - (Ainda a insistir que não tem as bolinhas, e eu já esquecida do assunto, ajo como uma cliente normal, procuro outras coisas, pois mulher que é mulher descobre sempre qualquer coisa para comprar!) 
Eu - Preciso de um desentupidor de canos.
Senhora - O Forza é muito bom.
Eu - (Vejo que não tenho moedas suficientes para pagar o tal do Forza que está etiquetado a 5,43€) Pois, não tenho suficiente. O que acha deste? (Embalagem ao lado com etiqueta em espanhol pela módica quantia de 4€)
Senhora - Não sei. Só experimentei este e garanto que é muito bom.
Eu - Bem, levo este (o mais barato, claro)
(Indo para a caixa, a senhora continua com um ar grave e nada simpático)
Entrego o dinheiro em mãos. A pequenota faz questão de arrumar o dinheiro na caixa e ainda pergunta à avô se tem de dar troco. A avô responde com novo "Não" bem seco e nada simpático.
Agradeço (nem sei porquê) e venho embora.

Saí de lá a pensar: "Como pode o comércio tradicional sobreviver com tão pouca simpatia?"

Faz-me confusão as pessoas que entendem que o resto da humanidade tem de sofrer as suas penas e acompanhar o seu humor. 

Se volto a esta loja? Decididamente não. Da próxima vez, ou vou à loja do Tio Belmiro, ou vou à drogaria da rua de cima, ainda que para isso seja obrigada a subir uma rua tão íngreme que até o bolinhas reclama!


E vocês? Voltavam lá?

terça-feira, 3 de julho de 2012

Limpezas e mudanças!

Sabem o que é passar da 5ª mudança para a 2ª? Pois, foi mais ou menos isso que aconteceu de sexta para segunda. Durante 3 anos tive de trabalhar a um ritmo acelerado para agora trabalhar calmamente. E sabem que mais? Estava a precisar e sabe mesmo bem.

Não tenho actualizado o blogue porque não tenho o cabo para ligar à máquina ao portátil, mas prometo que amanhã sai uma das muitas receitas que tenho para partilhar.

Comecei a tratar das limpezas a sério. Mas antes, tenho de comentar o porquê desta decisão, além da necessidade de o fazer. 

Andava meio perdida. O curso de espanhol terminou, faltei à natação durante todo o mês de Junho por N motivos, e sentia-me demasiado insatisfeita. Para piorar a situação, a casa de banho tresandava um mau cheiro que por muita lixívia que usasse de nada valia. Então decidi, apoiada pelo marido, procurar outra casa. Comecei a procurar, mas quase desesperei. Ele, porque a casa tem de ser perto da linha de comboio (entenda-se: perto q.b., claro!), porque tem de ter varanda, porque tem de ser virada para o mar, porque não pode ser piso térreo, porque não pode ser não-sei-mais-o-quê; eu, porque não pode ser pequena, porque tem de estar remodelada, porque a cozinha tem de ser bonitinha, porque a casa de banho tem de ser nova, porque o-raio-que-o-parta. Já estão a ver a conclusão, certo? Ficamos na mesma e ponto final. 
(via internet)

Decididos a ficar por aqui, e eu mais conformada, deitei mãos ao assunto e declarei o mês de Julho como o mês das limpezas hiper, mega, profundas. Para motivar um bocadinho, fui ao paraíso e voltei. Isto para dizer que fui ao IKEA. Bem, não punha lá os pés para aí à uns seis anos. Que vontade de espetar tudo no cesto e vir carregadinha até ao céu! Mas não, não dá para tanto.

Decidi que tinha de começar por uma ponta da casa e, apesar de existir muiiiita coisinha a mudar e/ou a melhorar, optei pela ... Cozinha!

Por isso, numa espécie de destralhar e limpar, vai dar origem a um post que espero vos entusiasme tanto quanto a mim! Até lá, é ver-me de rabo para o ar a esfregar os frisos dos azulejos do chão com lixívia e munida de uma escova de dentes!

As mudanças serão relatadas aos poucos, pois financeiramente seria a ruína.

Espero que gostem!