quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

MEO

Maldita a hora em que me cedi quanto a alterar o prestador para a MEO. Horrível. Horrível. Horrível. Primeiro, fazem uma instalação de merda, já para não falar das 3 horas que demoraram a colar fios, mal e porcamente, na parede. OK, trata-se de uma empresa contratada pela PT para o efeito. Adiante. Depois, e isto, logo no dia seguinte, avaria a box. UAU. Toca de telefonar a reclamar. O mais engraçado é que o número para estas coisas é a cobrar. Granda lata. Claro que reclamámos. Depois, foi a questão de ter direito a um desconto por motivo de o marido fazer parte de uma empresa parceira. Outra MENTIRA. Vá, meia mentira. O que o senhor não explicou, foi que para ter direito a esse desconto, teria de ter o pacote mais reles. Aqui, deu-me uma enorme vontade de cancelar o contrato e voltar para a ZON. Aguentei-me. Claro que me aguentei. Agora, para mudar de casa, explico, no início do processo, que tenho de abandonar o posto de trabalho num sítio às 18h30 para, no dia seguinte, às 09h00, ter tudo preparado para trabalhar. Ou seja, não tenho de me preocupar em pedir seja o que for à entidade patronal. 

Qual não é o meu espanto quando o marido me liga a informar que hoje (dia combinado) às 15h00 (hora não combinada) o técnico apresenta-se na nova morada para fazer a instalação. Pronto. É desta. Lá liguei para o número que é a pagar, lá fiquei 20 minutos à espera que a menina resolvesse a situação para depois, ficar tudo na mesma e o técnico continuar sem receber qualquer informação de que teria de lá voltar depois dessa hora. Lá liguei eu de novo, furiosa, muito furiosa. Quase a berrar. Estou a perder o meu tempo, estou a ocupar os meus recursos de trabalho com a merda de serviço que prestam, para ouvir uma miúda do outro lado da linha que não percebe que "O CLIENTE TEM SEMPRE RAZÃO". Ainda teve o desplante de me dizer: "Se eu lhe estoua dizer que está resolvido, é porque está". Ah! Deves estar a gozar comigo, só pode. A tua coleguinha de ao bocado disse o mesmo e olha!, não ficou resolvido. E depois, ainda me pergunta se não posso ir entregar o equipamento ao técnico. A menina só pode estar a brinca comigo. Se eu disse que não queria perder a tarde de trabalho no momento em que dei início ao processo, e se o seu colega não mencionou que não era possível, é porque é, certo? Então, eu não me importo que demorem das 18h30 de hoje até às 09h00 do dia seguinte para fazerem a p*** da instalação.

Tive de berrar, mas não disse asneiras. MEO, ficas avisada, estás aqui, estás fora da minha casa.

Agora é que o caldo entornou...

Que crise. Não fosse andar distraída com as mudanças, andaria num estado depressivo. Fiquei a saber que a prima mais nova está grávida. E eu, a prima mais velha, continuo sem contribuir para a luta contra o envelhecimento da população portuguesa. Aliás, a minha mãe, a filha do meu avô com mais filhos, é a única cujas filhas ainda não são mães. Será fobia? Hum ... Tenho de discutir este assunto com o meu mulherio. De qualquer modo e, apesar de nada me ter chegado aos ouvidos, desconfio que já sou motivo de "habladorias".    Mas, adianto, não se atrevam a apitar-me aos ouvidos que estou a ficar velha para parir, que sou capaz de dizer palavras menos bonitas. Fica o aviso para os familiares linguarudos.

Este blogue está temporariamente fora de serviço, no que a receitas diz respeito. Mas, tenho muuuitas experiências bimbólicas a relatar! Com a história das mudanças, conto actualizar as receitas a partir da próxima segunda. A ver vamos...

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Detesto

Gente sem educação. Ontem, estava na caixa do Pingo Doce e, quando vejo o senhor a mandar as moedas para cima do balcão. Ui. Torci-me toda. Quando trabalhei numa loja de moda (mais fashion que dizer "roupa"!) quando algum esperto se lembrava de mandar as moedas para cima do balcão, só me apetecia responder da mesma moeda. Além do trabalho que dá estar a apanhar moeda a moeda, dá para perceber que é de muito mau tom? Ah! Outra coisa! Além do senhor que atirou as moedas, a senhora que estava atrás de mim, estava cheia de pressa para ser atendida, pois, literalmente, empurrou-me com a porcaria do carinho. Definitivamente acho que me vou dar mal nesta loja perto da casa nova. Definitivamente, desconfio que continuarei a ser fiel ao tio Belmiro. Somos dos países europeus que cospem mais licenciados para o mercado de trabalho, mas continuaremos a ser muito pequeninos...

Por falar em casa nova! Ai, que doidice! Esta manhã, dei por mim a cantarolar o refrão da Alicia Keys mas, em vez de ser: "New York", era: "New home", isto em relação à casa nova; já em relação à casa velha, o refrão é este: "Não posso mais, viver aqui!". Ah pois! A casa está de novo cheeeeeia de humidade a trepar pelas paredes. A canalização da cozinha está entupidíssima, pois quando chove muito fica assim, entupidíssima e, eu digo: "It's raining man! Aleluia!" (nada a ver, mas acho que transmite muita alegria!).

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Actualizando o dia a dia

Acho impossível passar o dia de aniversário como se de um dia normal se tratasse. De há uns anos para cá, tiro o dia de férias. E que ninguém me aborreça. Foi assim no último aniversário:



Um café com natas (as que sobraram da preparação do bolo) e a relaxar no sofá!

Aproveito para partilhar que, ás vezes, penso no que pensarão do meu blogue. Eu, quando passeio pelos blogues das amigas, umas vezes invejo tanta criatividade, outras tão bom gosto. E vocês? O que acham do meu blogue? Devo mudar/melhorar alguma coisa? A M. disse que ao ver o meu blogue, apesar de termos ficado um ano sem nos vermos, tem a sensação de que está sempre comigo! Uma coisa é certa, não preciso contar toooodas as novidades! :)

Ainda sobre Paris

O segundo dia foi passado no Louvre. Fomos no domingo, por isso, não demorámos mais de 30 minutos a entrar. Depois de entrar, eu estava longe de adivinhar que passaria todo o dia dentro do museu. Por volta da hora do almoço já não aguentava dos meus pés. Qualquer desculpa era suficiente para eu me sentar. Sim, se não fosse o meu querido, tinha-me limitado a visitar os pontos de interesse. Percorremos todos os pisos e todas as alas. Foi duro. Declarei esse, como o dia das pilinhas e das maminhas, pois já deitava estátuas pelos olhos. Ao mesmo tempo, tive a impressão de que visitei a Grécia e o Egipto. Duvido que tenham tanto para mostrar como o que o Louvre tem em exposição.




Espero que tenham gostado!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A poucos dias de ...

deixar de ter esta vista maravilhosa:



para passar a ter esta:




A grande vantagem? A última é a menos de 5 minutos, a pé, da praia! (Entre muitas outras vantagens, pois claro.)

O que vos parece?

Actualizando o dia a dia!

Para começar, tenho de responder ao convite da Marisa para responder ao questionário de leitura!

Tempos houve em que era uma ávida leitora. Naquela altura em que vivia na casa dos pais. Eram livros atrás de livros. Quanto mais não fosse, a colecção inteira do Camilo Castelo Branco, que entretanto comprei à mãe, antes que algum dos irmãos lhe deitasse a mão! Nos tempos de faculdade, passei pela experiência de ler um jornal, à escolha, por semana, para depois comentar a notícia. Aquilo era uma seca, mas lá me safei. De momento, mea culpa, leio pouco, muito pouco mesmo. Consigo ler um livro a cada 4 meses. Claro que isso passa por escolher livros pouco interessantes para gajas. Ando curiosa com o tal das não sei quantas sombras. Não que precise de apimentar a minha vida, mas, caro mulherio, conhecimento não ocupa lugar, ?verdad?. E, depois do que a M. disse à T. em pleno passeio por Lisboa. Ah Ah Ah, o que me ri! A T. a ser menos politicamente correcta com o seu amigo. Queria ser uma mosca! Ah Ah Ah!


 As regras deste selo são:
  • Indicar um mínimo de dois livros que gostei de ler em 2012;
"As vinhas da Ira" de John Steinbeck  "Diz-me quem sou" de Julia Navarro (ambos em português) e "La Catedral del Mar" de Ildefonso Falcones de Sierra (em castelhano).
  • indicar pelo menos três livros que desejo ler em 2013;
Esta é difícil. Ultimamente, trago os livros da casa de um amigo. Escolhendo quase ao acaso.
  • Indicar o nome e o link de quem ofereceu o selo; 
(Já está!)
  • Oferecer o selo a mais 10 pessoas para dar sequência a este projeto de incentivo à leitura. 
Para todos os amigos que passam por aqui e queiram partilhar o seu gosto pela leitura. 


As regras deste selo são:
  • Indicar 10 blogues para fazer o mesmo;
Quem quiser, pode levar o selinho e partilhar connosco as suas preferências neste campo.
  • Avisar os blogs e colocar a imagem no seu blogue para apoiar a campanha;
Mais uma condição que passo.

  • Comentar o blogue que te indicou;
(Já está!)
  • Responder à pergunta: "Qual o livro que você indicaria para uma pessoa começar a ler? 
Risota total! O Segredo de Rhonda Byrne. Porque acho que todos temos muito potencial, só temos de ter um empurrãozinho. Na altura em que li o livro, consegui pôr toda a gente a pensar nele.

Até já!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Ai que saudade...

de escrever aqui, no meu diário. Eu avisei, não avisei? Este mês, o blogue andaria a passo de caracol. Ora foi pela viajem, presente de aniversário de mim para mim!; ora pelo aniversário na passada segunda feira, passado na companhia da família e que correu lindamente; ora pela casa "nova" que anda a dar muita dor de cabeça!

Pelos vistos, ainda não é hoje que relato o segundo dia de viagem, vou ao IKEA comprar móveis para a cozinha (ó pra mim toda contente!). Do dia de aniversário, só tenho a comentar uma foto, que foi o meu momento Zen do dia! Esperem para ver, pois acho que vos inspirará! :) Das mudanças, só tenho a dizer que tenho desesperado. Não me apetece mexer nas poupanças para remodelar uma casa que não é minha, mas também não apetece morar num sítio a precisar de obras. Enfim... Este fim de semana vou praticar abdominais e vou trabalhar os músculos dos braços, vamos tapar os espaços entre os tacos do chão e lixá-lo... Voluntários?

Agradeço todas as visitas que o blogue continua a registar diariamente, que dão muito alento, sendo a melhor prenda de aniversário que uma blogueira poderia desejar!


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

From Paris With Love

Chegado o momento do baptismo de voo, eu estava numa pilha de nervos! Durante o trajecto até ao aeroporto, bem tentei relaxar, acreditando que tudo correria bem. Já no aeroporto, e já junto da porta de acesso ao nosso avião, sentia muitas borboletas na barriguinha! A descolagem foi a parte mais complicada bom, se calhar, tão complicada quanto a aterragem mas, correu tudo bem. Chegámos ao destino em segurança. Para chegar ao hotel, contámos com o apoio dos parisienses que, na minha opinião, foram muito simpáticos e prestáveis. Até quando não pedíamos ajuda, vinham perguntar se precisámos dela! Portanto, digam o que disserem, e isto porque nos haviam dito que eram pessoas menos afáveis e que só falavam francês, para nós são um povo simpático e disponível. Em alguns casos, só faltou levarem-nos até à porta do hotel! Enquanto a larga maioria arranhava o inglês, nós arranhávamos o francês! 

Adorei as ruas, os prédios, as pessoas, o comércio, a luz e o cheiro a cultura e a arte que se sente na cidade. Os dias começaram bem cedo e os passeios foram sempre a pé. Do hotel à Torre Eiffel. Da Torre Eiffel ao Museu D'Orsay. Do Museu ao Champs Elysees. No Champs Elysees até ao Arco do Triunfo. Do Arco do Triunfo para uma loja Dia para comprar o jantar! Já prontinha para dormir, fechava os olhos e só via prédios e mais prédios. Foi assim o nosso primeiro dia:



Adorei ter subido ao topo da Torre Eiffel! Acho que foi nesse momento que me "caiu a ficha"! Esperem por vos contar o segundo dia, todo ele passado no Museu do Louvre. Quando vos digo que aquilo é enorme, não é enorme, é gigantesco. Se me contassem que o Museu é grande, eu não imaginaria o quão grande ele é. E sim, fiquei emocionada quando estive perto da Mona Lisa. Amanhã, conto os pormenores!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A passo de caracol...

Eu desejei. E desejei com muita força. Porque acredito que mereço. Porque acredito que o mundo tem muito para nos dar. Basta que acreditemos e que façamos por isso. Por isso, este ano promete ser recheado de surpresas. No espaço de poucos dias tivemos de tomar uma decisão. Uma decisão muito importante. Senti-me confusa e muito ansiosa. Perguntei a mim mesma, se estaria a tomar a decisão correcta. Ponderados os prós e os contras, os prós falaram mais alto. Sentimos o grito da mudança. E decidimos avançar. Por isso, este mês, o blogue andará a passo de caracol. Mas, e porque sinto o dever de aqui estar (não que seja um modelo a seguir, nada disso) vou reportando a nossa próxima aventura. Garanto que promete muita discussão (nada de gritaria, mas sim de debate de ideias), muita confusão, muita agitação, muita surpresa. Em duas palavras: muita MUDANÇA.

Obrigada por compreenderem e por estarem aqui!